sábado, 20 de dezembro de 2014

Tempo d'espera


Há o tempo da espera
Onde o silêncio respira
Lento, profundo.

Há o tempo da espera
Onde o verso adormece
Quieto, inerte.

Há o tempo da espera
Onde a vida se tece
Pequena, íntima.

Ah! O tempo (des) espera
E a vida rompe,
Se assanha, desassossega.

Um comentário:

  1. Sabia que aqui também eu encontraria um recém-nascido! Lindo! Beijos

    ResponderExcluir